• omega@omegasites.com.br
  • (41) 3539-7207 | (41) 9 8786-3256
News Photo

Está desempregado? Internet pode ser saída para conseguir renda.

Marketing online, desenvolvimento de aplicativos, design, produção de conteúdo e programação são algumas das profissões com mais demandas pela internet. Mas também é possível encontrar opções tradicionais, como consultoria, serviços de administração de empresas e venda. Para quem é bastante ativo nas redes sociais, vale também tentar ser um "influenciador" -divulgar nas redes sociais serviços e produtos de outras pessoas e empresas, ganhando comissão.


Vender diretamente produtos e serviços pela internet Oferecer os próprios produtos e serviços pela internet é outra opção, diz Daniel Pasqualucci, co-fundador da Descola, empresa que oferece cursos online nos mais diversos segmentos. "Nossa intenção é desenvolver habilidades que ajudem as pessoas a encontrar uma recolocação no mercado de trabalho ou para que ofereçam melhor seus próprios serviços." Um dos caminhos mais simples, diz ele, é oferecer trabalhos como freelancer dentro de suas habilidades. "Existe uma infinidade de plataformas que oferecem opções de trabalhos para freelancers", diz ele . 


Para se ter ideia da importância que esse segmento vem conquistando, dados do Relatório de Trabalho Independente e Empreendimento, organizado pela Workana, plataforma de serviços online, aponta uma expansão de 80% no trabalho como freelancer em 2017 na comparação com o ano anterior, quando a expansão foi de 180% ante 2015. Organização é a palavra-chave Para Pasqualucci, um dos principais pontos para quem vai trabalhar como freelancer é a gestão do tempo. "Quando você fecha um trabalho por projeto, por exemplo, é importante calcular quanto precisa se dedicar a cada um para que a entrega seja feita dentro do prazo acordado", diz.


Fazer a gestão financeira dos ganhos também é importante. Separar um percentual do que ganha em cada projeto é uma forma de se preparar para renovação de equipamento, gastos do local onde trabalha -e até para eventuais atrasos de pagamento ou períodos sem trabalho. Também é importante fazer networking -que é se reunir com outros profissionais. "São eles que podem indicar trabalhos ou parcerias", diz Pasqualucci. Para quem trabalha em casa, uma dica é frequentar espaços colaborativos para ver gente e trocar ideias. Conhecer o contratante e registrar o serviço.


Especialista em gestão de pessoas, Aline Mendonça orienta o prestador de serviço pela internet a marcar uma entrevista com quem vai contratá-lo para ter a garantia de que "aquela pessoa existe" e não se trata de um perfil falso, por exemplo. O ideal é que esse contato seja presencial. Mas, se não for possível, vale uma entrevista pelo Skype. Outro cuidado é preparar um contrato com as cláusulas essenciais, como o serviço a ser executado, o prazo e a remuneração. "Pode até ser por RPA (recibo de pagamento autônomo) já que a ideia não é dificultar a execução do serviço, mas ter uma garantia mínima para ambos os lados", diz Aline.


E o mais importante, diz ela, é ir com calma na hora da negociação. "Às vezes, na ânsia de fechar um trabalho, a pessoa acaba atropelando o cliente, ligando a toda hora ou mandando muitos e-mails. Para evitar que isso aconteça, o ideal é definir um prazo para que o possível cliente dê um retorno. Isso evita que ele se assuste e desista do trabalho ou pior, faça uma oferta abaixo do que é o indicado", diz.


Fonte:  UOL

Compartilhe a Notícia

Comentário

Tire suas dúvidas ou solicite informações.